quarta-feira, 1 de junho de 2011

Dia da Criança.

Hoje brindemos às crianças. À pequenada, aos pernas-curtas. Aos quatro-olhinhos, às trancinhas e às corridas. Aos espertalhões e aos sempre-em-pé. Aos arranhões nos joelhos e aos rebuçados. Brindemos às gargalhadas e aos choros por dá-cá-aquela-palha. Brindemos à inocência e à ingenuidade, porque as crianças ainda não conheceram outra coisa. Ainda não tiveram tempo para nada, só para comer e correr e rir. Um brinde ao tempo que não tiveram e um brinde ao tempo que ainda vão ter! Um brinde à possibilidade que a infância traz consigo. A sensação de que se pode ser tudo, de engenheiro a astronauta, e de cabeleireira a presidente, porque ainda não se é muito. E é-se uma benção tão grande.. Um brinde de todos os géneros às crianças de todas as formas e um beijo de todas as formas às crianças de todos os géneros. Brindemos à esperança que elas representam, porque a trazem consigo no seu puro coração. E o coração ainda por maturar, o coração em bruto. Que sejam felizes, meus seres em miniatura, porque só assim serão eternamente bons.

3 comentários: